"Aprende a desprezar as coisas exteriores, aplica-te às interiores e verás como vem a ti o Reino de Deus."

30 janeiro 2014

Purificação



Eu, Senhor, pobre massa sem seiva
Eu caminhei
Nem senti a derrota tremenda
Do que era mau em mim.
A luz cresceu, cresceu interiormente
E toda me envolveu.
A ti, Senhor, gritei que estava puro
E na natureza ouvi a tua voz.
Pássaros cantaram no céu
Eu olhei para o céu e cantei e cantei.
Senti a alegria da vida
Que vivia nas flores pequenas
Senti a beleza da vida
Que morava na luz e morava no céu
E cantei e cantei.
A minha voz subirá até ti, Senhor
E tu me deste a paz
Eu te peço, Senhor
Guarda meu coração no teu coração
Que ele é puro e simples
Guarda a minha alma na tua alma
Que ela é bela, Senhor.
Guarda o meu espírito no teu espírito
Porque ele é minha luz
E porque só a ti ele exalta e ama.

(A poesia religiosa de Vinícius de Moraes)

26 janeiro 2014

Meditação


«Para o Cristão, meditação é apenas na Palavra de Deus e o que ela nos revela sobre Ele.
Davi sabia que esse era o caso, e ele descreve o homem que é “bem-aventurado” como aquele cujo “prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite” (Salmos 1:2).
Meditação Cristã verdadeira é um processo ativo de pensamento (pensando, resolvendo), pelo qual nos entregamos ao estudo da Palavra de Deus em oração e pedimos a Deus para nos dar entendimento através do Espírito.

Ele habita no coração de todo crente e tem prometido nos guiar em “toda a verdade” (João 16:13).
Devemos então colocar o que aprendemos em prática, fazendo um compromisso com as Escrituras de que só elas serão a regra completa para as nossas vidas e para a prática das nossas atividades diárias.
Isso causa crescimento espiritual e maturidade nas coisas de Deus à medida que somos ensinados pelo Espírito Santo.»

Pensamento


"Os homens cultivam cinco mil rosas num mesmo jardim e não encontram o que procuram. E, no entanto, o que eles buscam poderia ser achado numa só rosa." -- Antoine de St. Exupery

Cinco minutos com Deus


A nossa vida deve ser como um rio. As águas do rio deslizam silenciosamente e vão deixando aquilo que levam. Se as águas estão turbulentas, por onde passam depositam lodo e sujidade. O sinal de que o rio passou por ali é a sujidade que deixa. Mas se as águas estão limpas, deixam atrás de si humidade, fecundidade, frescura, verdor.

Procuremos que as águas do rio da nossa vida andem sempre limpas e deixem parte delas por onde passarmos. Veremos que à nossa volta tudo se enche de colorido e verdor e que brotam, fruto dos nossos passos, as flores das virtudes e a relva da bondade.

As nossas palavras, as palavras que hoje pronunciamos, podem ser água suja ou corrente límpida, aplicadas às nossas ideias, pensamentos, afectos e obras, para que no findar de cada dia nos sintamos felizes e não envergonhados.

(MILAGRO, Alfonso - Os cinco minutos de Deus. Cucujães: Editorial Missões, 2005)

Exórdio


Cantar ou calar?
Mãe Santíssima de Jesus, os teus louvores
Hei de os cantar ou hei de os calar?
A mente alvoroçada
Sente-se impelida pelo aguilhão do amor
A oferecer a sua rainha uns versos...
Mas receia com a língua impura
Decantar tuas glórias:
Inúmeras culpas carregam-na de manchas.
Como ousará mundana língua enaltecer
A que encerrou no seio o Onipotente?
Apavorada a pobre mente foge
A não ser que teu amor
Expulse do coração o medo que o possui.
Por que temer incerto?
Por que há de gelar o peito?
Por que fria se esconderá a língua?
(José de Anchieta)

Paciência com as nossas imperfeições

- Que foi que paralisou os vossos esforços ? Corríeis bem: quem vos deteve?, pergunta São Paulo (Gal 5, 7).

- “ A perturbação”, respondeu São Francisco de Sales; “se não vos tivésseis inquietado ao primeiro passo em falso, mas tivésseis tomado suavemente o coração nas mãos, não teríeis tropeçado de novo”.
Por isso o Santo multiplica os seus conselhos, desejoso de comunicar aos outros “a paz tão desejada, que é a hospede mais querida, fiel e perpetua do coração”4, e por isso reconhecida insistentemente a serenidade e a paciência em primeiro lugar connosco próprios.

“Livrai-vos das pressas e dos desassossegos, pois não há nada que mais nos estorve o passo no caminho da perfeição”5,
“Por que os pássaros e outros animais permanecem presos nas redes? Porque, tendo caído nelas, se debatem desordenadamente no esforço por libertar-se, e assim só conseguem embaraçar-se cada vez mais …Não é perdendo a serenidade de espírito que conseguimos desfazer-nos dos laços de algumas imperfeições; ao contrario, mais nos embaraçaremos nelas”6.

“É preciso sofrer com paciência a lentidão com que nos vamos tornando melhores, sem deixar de fazer quanto pudermos para progredir, sempre com boa vontade”7.”Aguardemos, pois com paciência, o nosso progresso, e em vez de nos inquietarmos por termos feito tão pouco no passado, procuremos com diligência fazer mais no futuro”8.

“não nos aflijamos por sempre nos vermos principiantes no exercício das virtudes, porque, no campo da vida interior, todos devemos considerar-nos sempre principiantes; toda a nossa vida deve ser encarada como uma prova, e pensar que já a superáramos é o sinal mais evidente, não só de que continuamos a ser principiantes, mas ainda de que somos incapazes de deixa-lo de sê-lo.

A obrigação de lutar por servir a Deus e de progredir no amor Divino dura até á morte.
“-«Bem», dir-me-á alguém, «mas como posso não me afligir e entristecer-me, se vejo que é por minha culpa que não avanço no caminho da virtude?» Já o disse na Introdução á vida devota e agora volto a dizê-lo de bom grado; é preciso entristecer-se com um arrependimento que seja forte e sereno, constante e tranquilo, mas nunca agitado, nem inquieto, nem desalentado”9.

(4) La Riviére, Vida do Bem-aventurado Francisco de Sales
(5) XII, 266. Carta a Santa Joana de Chantal;
(6) Opúsculos espirituais.
(7) VI, 164. Colóquio X. Da obediência;
(8) Tratado do amor de Deus, livro IX, 7;
(9) Ibidem, livro X,7.

Texto retirado: Não nos perturbemos – JOSEPH TISSOT

Efeitos da graça santificante

A Graça Santificante é um dom Divino, uma qualidade sobrenatural infundida por Deus em nossa alma, que nos dá uma participação física e formal da própria natureza divina, tornando-nos semelhantes a Ele em sua própria razão de deidade.

Pe. António Royo Marín, O.P., Somos hijos de Dios _ Misterio de la divina gracia, BAC, Madrid, 1977, cap.III. “….Na realidade, todas as criaturas são, de alguma forma, semelhantes a Deus, que lhes deu o ser tirando-as do nada. Mas o são em graus diferentíssimos, á medida em que se aproximam mais de Deus, segundo uma escala analógica. Assim, temos que:

1º) Os minerais se assemelham a Deus exclusivamente enquanto ser, ou seja, enquanto existem. Neles não há uma imagem de Deus, mas somente um vestígio, como o que deixa um caminhante ao andar sobre a neve.
2º)As plantas e os animais se assemelham a Deus como seres vivos, pois têm vida. Mas tão rudimentar é esta vida nas plantas, que carecem de todo conhecimento; e tão imperfeita é nos animais, que seu conhecimento é meramente sensitivo, e não racional. Tampouco há, nas plantas ou nos animais, uma verdadeira imagem de Deus: possuem apenas um traço ou vestígios pouco mais perfeito que o dos minerais.
3º)O homem e os Anjos se assemelham a Deus como ser vivo inteligente e, neste sentido, constituem uma verdadeira imagem de Deus, ainda que na ordem puramente natural. Assemelham-se a Deus como seres inteligentes, se bem que a uma distância infinita da Sabedoria incriada, que é o Próprio Deus (Cfr.Gên 1,26)
4º)A alma em graça se assemelha a Deus precisamente enquanto Deus,.Ou seja, não somente enquanto ser vivo e inteligente, mas naquilo que faz com que Deus seja Deus: sua própria divindade. Como realidade divina que é, a graça pertence ao plano da divindade. E por isso está incalculavelmente acima de todos os seres criados ou que poderiam ter sido criados, incluindo os próprios anjos.

È impossível, a uma criatura, galgar maior elevação do que a proporcionada pela graça santificante, exceptuada a união pessoal ou hipostática do que a própria e exclusiva de CRISTO-homem.

Quem é o Espirito Santo?

Com aprovação eclesiástica, tirado da pagela da autoria do Pe. Oliveiros de Jesus Reis).

Todos os Cristãos foram baptizados em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, todos ouviram falar nas Três Pessoas da Santíssima Trindade, mas muitos há que, não sabem quem é o Espírito Santo em que foram baptizados.

Para ajudar a esclarecer o papel do Divino Espírito Santo na nossa vida sobrenatural de baptizados, eis porque me decidi a escrever estas páginas. E, fazendo-o, obedeço a uma inspiração do Alto pois a Sagrada Escritura diz:
«Toda a boa obra e todo o dom perfeito vem do Alto, descendo do Pai das luzes, no qual não há mudança nem sombra de variação». (TIAG.1,17). Uma das graças que o Divino Espírito Santo comunica às almas, que especialmente O invocam, é fazer-lhes ver a brevidade da vida e o nada deste mundo.

Quem é o Espírito Santo?

Deus é Uno em Essência e Trino em Pessoas. Sempre, desde toda a eternidade, Deus único é Pai, é Filho, como é o Espírito Santo. Tão eterno e tão infinitamente Poderoso e Bom, Justo e Misericordioso é o Pai como é o Filho, como é o Espírito Santo. O Pai é Deus, o Filho é Deus, o Espírito Santo é Deus, mas não são três deuses – mas sim Três Pessoas distintas dum só Deus único e verdadeiro.
Isto é um mistério, pois a nossa razão o aceita porque Deus, Suprema Verdade, o revelou embora o não possamos compreender por Deus ser Infinito e nós termos só uma centelha da sua inteligência. Fomos criados á Sua imagem e Semelhança, mas não somos iguais a Ele.

Só a religião Católica, a que foi divinamente inspirada por Deus, possui mistérios, pois tem a Deus por Autor que nos quis revelar algo da Sua Vida íntima. As religiões falsas, criadas pelo homens inspirados por Satanás, para servir os seus erros e paixões, não têm mistérios, dão-nos só aquilo que o diabo e os homens podem dar, vão até onde eles podem ir e, embora nos ensinem algum bem, misturam a Verdade com o erro.

A Santíssima Trindade, diz o 4º Concilio de Latrão, é incompreensível e inexplicável. Mas podemos por meio de comparações, chegar a alguns conhecimentos muito úteis dos mistérios, diz o 1º Concilio do Vaticano.
Desde toda a eternidade, Deus vê-se no espelho da Sua Divindade e gera uma Imagem consubstancial de Si mesmo (HEB. 1,3) e esta imagem é o Seu Filho eterno. O amor recíproco do Pai e desta Imagem consubstancial, que é o Filho, é o Espírito Santo. Esta é as explicações que deram Sto. Agostinho, Sto. Anselmo e são Tomás de Aquino. É comum dizer-se que o Pai criou o mundo, que o Filho salvou os homens, e que o Espírito Santo é o Santificador. O Pai não tem origem nem procede de Pessoa alguma, mas o Filho procede eternamente do Pai, e o Espírito Santo procede eternamente de Uno e de Outro.
…a Igreja proclama: Glória ao Pai, ao Filho, e ao Espírito Santo. O Credo, as bênçãos, …exprime a sua crença na Essência Una de Deus e na Sua Trindade de Pessoas.

Salve-rainha pequenina

Rosa divina,
Cravo de amor,
Mãe do Senhor
Dá-nos juízo
E entendimento
Para receber
O Santíssimo Sacramento.
Amen

Pai-nosso pequenino

Pai-nosso pequenino,
Quando Jesus era menino
Tinha as chaves do paraíso.
Quem lhas deu,
Quem lhas daria?
Foi a Santa Madalena.
Cruz no monte,
Cruz na fonte,
Nunca o diabo nos encontre,
Nem de noite, nem de dia,
Nem ao pino do meio-dia.
Já os galos pretos cantam,
Já o Senhor subiu à cruz.
Arcas Santas bem fechadas,
Viva o Corpo de Jesus.
Ámen.

15 janeiro 2014

Elizabeth Kindelmann CHAMA DE AMOR


E rogou o doce Redentor que rezasse junto com Ele a oração que
expressa os seus anseios:

“Nosso Senhor Jesus,
Uni nossos passos aos vossos para caminharmos juntos,
Colocai nossas mãos nas vossas para recolhermos juntos,
Fazei nossos corações bater em uníssono com o vosso,
Fundi nossas almas na vossa para sentirmos os vossos sentimentos,
Uni aos vossos os pensamentos dos nossos espíritos,
Fazei que nossos ouvidos escutem com os vossos no silêncio,
Elevai nossos olhares ao vosso para se fundirem,
E fazei nossos lábios, em união com os vossos,
Implorar a misericórdia do Pai Eterno. Amém.”

Fiz completamente minha essa oração. Ele a meditou muitas vezes
junto comigo, asseverando que esses são os seus eternos anseios. Ele me
ensinou essa oração para que eu a ensinasse aos demais. Façamos nossos
os seus eternos pensamentos e desejos com todas as nossas forças. O
Salvador ainda acrescentou:
“Essa oração é um instrumento nas tuas mãos...."



Elizabeth Kindelmann
CHAMA DE AMOR
do Imaculado Coração de Maria
Diário Espiritual (1961-1985)
MINHAS LUTAS ESPIRITUAIS

LER AQUI: (CLICAR IMAGEM)

Oração

"Pai celeste, nós estamos diante de Ti hoje para pedir Teu perdão
 e para buscar Tua direcção e liderança.
Nós sabemos que Tua palavra diz: 'Cuidado com aqueles que chamam o mal de bem,
 mas isto é exactamente o que temos feito.
Nós perdemos nosso equilíbrio espiritual e revertemos nossos valores.
Nós exploramos os pobres e chamamos isso de loteria.
Nós recompensamos preguiça e chamamos isso de bem-estar.
Nós cometemos aborto e chamamos isso de escolha.
Nós matamos os que são a favor do aborto e chamamos de justificável.
Nós negligenciamos a disciplina de nossos filhos e chamamos isso de construção de auto -estima.
Nós abusamos do poder e chamamos isso de política.
Nós invejamos as coisas dos outros e chamamos isso de ambição.
Nós poluímos o ar com coisas profanas e pornografia e chamamos isso de liberdade de expressão.
Nós ridicularizamos os valores dos nossos antepassados e chamamos isso de iluminismo.
Sonda-nos, oh, Deus, e conhece os nossos corações hoje;nos limpa de todo pecado e nos liberta.
Amém!”


Autoria Pe. Joe Wright - 
LER AQUI (clicar)