"Aprende a desprezar as coisas exteriores, aplica-te às interiores e verás como vem a ti o Reino de Deus."

28 novembro 2012

Mens Agitata

Oh! Se o amor da Mãe divina não me dobrar,
Se à glória da Virgem meus lábios não se abrirem,
Que meu coração vença em dureza
A pedra, o ferro, o bronze,
O diamante indomável!
Quem me dera encerrar na arca do peito
A tua virginal imagem,
Para envolver-te, piedosa Mãe, em chamas!
Sê tu, com teu menino,
O único prazer, anseio, amor do meu coração!
 
José de Anchieta

Mater Admirabilis

Quando eu entrei naquela igreja, estava
Nossa Senhora ao pé de Jesus Cristo;
Parecia que a santa me fitava
Como se nunca me tivesse visto.

– Não me conheces, Mãe? – É que eu pecava,
E vim te ver e te contristo:
O resto do teu filho o vício cava,
Mãe, minha Mãe, eis o que sou – sou isto!

Mas noto em teu olhar um certo brilho...
Deixe que eu beije a fímbria do teu manto,
Talvez tu reconheças o teu filho.


Talvez fosse ilusão tudo o que eu via:
Quando, de novo, olhei seu rosto santo,
Nossa Senhora para mim sorria...

Autor: Djalma Andrade

COROINHA PELOS DEFUNTOS



V/ - O nosso auxílio está no nome do Senhor,
R/ - Que fez o céu e a terra,

Salmo 129
R/ - Escutai, Senhor, a voz da minha súplica.

Do profundo abismo chamo por Vós, Senhor:
Senhor, escutai a minha voz.
Estejam os vossos ouvidos atentos
Á voz da minha súplica. R

Se tiverdes em conta as nossas faltas,
Senhor, quem poderá salvar-se?
Mas em Vós está o perdão,
Para serdes temido com reverencia. R

Eu confio no Senhor,
A minha alma confia na sua palavra.
A minha alma espera pelo Senhor,
Mais do que as sentinelas pela aurora. R

Mais do que as sentinelas pela aurora,
Israel espera pelo Senhor,
Porque no Senhor está a misericórdia
E com Ele abundantes redenção.
Ele há-de libertar Israel
De todas as suas faltas. R

Dai-lhes, Senhor, o eterno descanso
Nos esplendores da vida eterna.
Descansem em paz.
Ámen.

! – Consideremos o estado comovedor das almas do Purgatório. Elas são justas, amigas de Deus e destinadas ao céu. Encontram-se terrivelmente atormentadas, sem poder fazer obra alguma meritória por si mesmas. Voltam-se então para nós pedindo a ajuda das nossas orações.
Uma Ave Maria, dez Pai Nossos e no fim: Dai-lhes, Senhor, o eterno descanso . . .

2 – Consideremos como podemos facilmente, por meio das nossas orações, ajudar as Almas do Purgatório e a obrigação que temos de sufragá-las, porque, se não podem ajudar-se a si mesmas, é justo e razoável pedir ao Altíssimo por elas que tanto suspiram por sair das penas do Purgatório e entrar no Paraíso para gozar eternamente da visão de Deus.
Uma Ave Maria, dez Pai Nosso e no fim: Dai-lhes, Senhor, o eterno descanso…
3 – Consideremos que as Almas do Purgatório por nos socorridas, quando estiverem no céu, como esposas singularmente amadas por Deus, intercederão com o máximo empenho junto da sua Divina Majestade por quem com tanta piedade as libertou das penas do Purgatório. Na verdade, isto devia ser para nós motivo suficiente para sufragar abundantemente aquelas Almas, para ajuda-las a alcançar, o mais cedo possível, o céu, onde não deixarão de ser nossas particulares advogadas e fervorosas intercessoras.
Uma Ave Maria, dez Pai Nossos e no fim: Dai-lhes, Senhor, o eterno descanso . . .

Ao terminar esta Coroa de nosso Senhor Jesus Cristo, oferecemo-la ás suas santíssimas Chagas para que elas seja de refrigério para as Almas do Purgatório, e em particular para aquelas que foram devotas desta santo exercício.
Uma Ave Maria, dez Pai Nossos e no fim: Dai-lhes, Senhor, o eterno descanso . . .