"Aprende a desprezar as coisas exteriores, aplica-te às interiores e verás como vem a ti o Reino de Deus."

30 julho 2012

QUEM É A MADRE EUGÉNIA?


Nascida em 1907 em San Gervasio d'Adda, Itália, conheceu muito cedo o sofrimento e sobreviveu, depois de um milagre obtido pelo seu avô junto da Santíssima Virgem, que ela própria vê. O seu avô dá muita importância à oração na família e vai-lhe dando preciosos ensinamentos, que ajudam a criança a crescer religiosamente. Um dia, mostrando-lhe o rio Adda, disse-lhe:
- "Olha para a água, ela corre e afasta-se , se parasse seria um pântano de água estagnada. Assim sucede com os teus sofrimentos, as tuas lágrimas e as tuas lutas: elas passam, não as pares. Tudo passa, oferece a Deus e aceita cada dia a Sua Vontade. Não olhes para a pessoa que te causa o sofrimento. recebe-o das Suas mãos, nada é por acaso; Deus segue as Suas criaturas passo a passo. Ele nos ama mesmo se nós não compreendemos todos os porquês. Coragem, segue sempre em frente e espera que o sofrimento passe".
Elisabetta aproveita bem estes ensinamentos dados pelo seu querido avô. Ela repetia estas palavras emblemáticas: "Espero que isso passe e, entrementes, canto". Nós, as Irmãs da Madre Eugénia, dizíamos: "A Madre Eugenia está cantando, alguma coisa vai mal".
Depois de oito anos de trabalho numa fábrica, decidiu fazer-se missionária: "Eis-me aqui, Ó Pai, eu venho fazer a Tua Vontade!".
No Convento, novas dificuldades. Ela pensa que não se pode pretender que todas sejam santas no Convento, pois a santidade obtém-se lutando e conquistando novas vitórias, a pouco e pouco. Compreendeu que não se deve julgar, que se deve permanecer unido a Deus e observar os regulamentos sem andar a ver se as outras os observam; cada uma responde por si mesma diante de Deus com as suas próprias responsabilidades. Está convencida de que deve ser caridosa para as outras e ajudá-las nas suas necessidades. Deus dar-lhe-á forças para isso: "Coragem, pois, e em frente!"
Imprevisivelmente, é nomeada, ainda muito nova, mestra das noviças e, em 1935, é eleita Geral por 12 anos. A sua maneira de atuar é a de uma pessoa que tem uma confiança ilimitada em Deus e que não mede as suas forças e as suas capacidades.
A sua instrução não passa da terceira classe e agora que tem de lidar com várias línguas e muitos problemas, a sua confiança em Deus é ainda mais forte e Deus ajuda-a. Quando é preciso, fala todas as línguas, incluindo o latim com os sacerdotes. Escreveu também vários livros de instrução religiosa.

Fonte - ver aqui: DEUS PAI

29 julho 2012

Novena à Deus Pai



Novena a Deus Pai - inicia dia 29 Julho e vai até dia 7 de Agosto - Dia de Deus Pai)




Oh! meu Pai dos céus, como é doce e suave saber que Vós sois meu Pai e que eu sou Vosso(a) filho(a).
É sobretudo quando o céu da minha alma é negro e a minha cruz mais pesada que sinto a necessidade de vos dizer:
Pai, eu creio no Vosso Amor por mim!
Sim, eu creio que Vós sois meu Pai e que eu sou Vosso(a) filho(a)!
Eu creio que Vós me amais com amor infinito.
Eu creio que Vós velais dia e noite por mim e que nem um cabelo cai da minha cabeça, sem Vosso consentimento!
Eu creio que, infinitamente Sábio, Vós sabeis muito melhor do que eu o que me covém!
Eu creio que, infinitamente Poderoso, Vós tirais o bem do mal!
Eu creio que infinitamente Bom, Vós fazeis que tudo concorra para o bem daqueles que Vos amam; or detrás das mãos que ferem, eu beijo Vossa mão que cura!
Eu creio que, mas aumentai a minha fé e, sobretudo, a minha esperança e a minha caridade! Ensinai-me a saber ver o Vosso amor dirigir todos os acontecimentos da minha vida.
Ensinai-me a abandonar-me à Vossa condução, como uma criança nos braços de sua mãe.
Pai, Vós sabeis tudo. Vós vêdes tudo. Vós me conheceis melhor que eu mesmo(a). Vós podeis tudo e Vós me amais!
Ó meu Pai, já que desejais que nós Vos peçamos tudo,eu venho com confiança pedir-Vos, com Jesus e Maria (dizer a graça que deseja obter).
Por esta intenção eu Vos ofereço, em união com os Sagrados Corações, todas as minhas orações, os meus sacrifícios e mortificações, e uma fidelidade ao meu dever.
Se se rezar esta oração como novena, isto é, nove dias seguidos pela intenção desejada, deve-se acrescentar:
"Prometo-Vos ser fiel, especialmente durante estes nove dias, em tal circustância ..........., com a aquela pessoa".)
Dai-me a luz, a força e a graça do Vosso Espírito!
Confirmai-me neste Espírito, para que nunca O perca, não O entristeça, nem O enfraqueça em mim
Meu Pai, é em nome de Jesus Cristo, Vosso Filho, que eu Vo-lo peço.
E Vós, ó Jesus, abri o Vosso Coração e colocai n'Ele o meu e, com o de Maria, oferecei-o ao nosso Divino Pai.
Em troca, obtende-me esta graça de que tenho tanta necessidade!
Meu Divino Pai, dai-Vos a conhecer a todos os homens.
Que todo mundo proclame a Vossa bondade e a Vossa misericórdia!
Sede o meu terno Pai e protegei-me em toda a parte como a pupila dos Vossos olhos. Que eu seja para sempre o(a) Vosso(a) digno(a) filho(a).
Tende piedade de mim!
Pai Divino, doce esperança das nossas almas, sede conhecido, honrado e amado pelos homens!
Pai Divino, bondade infinita que se exerce para com todos os povos, sede conhecido, honrado e amado pelos homens!
Pai Divino, orvalho benfazejo da humanidade, sede conhecido, honrado e amado pelos homens. Amém.
                                                                                                             
                                                                                                    Madre Eugenia
+ João,Cardeal Verdier
Arcebispo de Paris
8 de Maio de 1936
+ Girard, Vic. Apost.9 de Outubro de 1935

27 julho 2012

Indulgência da Porciúncula - Perdão de Assis


São Francisco de Assis, em 1216 teve uma visão:

O próprio Jesus lhe apareceu, acompanhado de sua Santa Mãe e lhe pedia: Francisco, vai
até o meu representante, o Papa e peça a ele esta graça: que todos os que visitarem a capela
da Porciúncula ( capela dedicada a Nossa Senhora dos Anjos), estando em dia com os
sacramentos da Confissão e Eucaristia, e professando a Fé dos Apóstolos, possam receber o
perdão completo de todas as penas dos pecados até então cometidos.
O papa achou inusitado o pedido de Francisco, mas conhecendo a sua santidade, concedeu
este favor, que depois foi estendido a toda as igrejas franciscanas e agora para todas as
matrizes paroquiais.
Esta indulgência é concedida a todos os fiéis que comparecem nessas igrejas, recebendo o
perdão da Confissão e a Eucaristia, rezando a Profissão de Fé e as orações do Pai Nosso -
Ave Maria e Glória, nas intenções do Santo Padre.
A Indulgência da Porciúncula somente era concedida a quem visitasse a Igreja de Santa
Maria dos Anjos, entre à tarde do dia 1 agosto e o pôr-do-sol do dia 2 agosto.
Em 9 de julho de 1910, o Papa Pio X concedeu autorização aos bispos de todo o mundo, só
naquele ano de 1910, para que designassem qualquer Igreja Pública de suas Dioceses, a fim
de que também nelas, as pessoas recebessem a Indulgência da Porciúncula. (Acta
Apostolicae Sedis, II, 1910, 443 sq.; Acta Ord. Frat. Min., XXIX, 1910, 226).
Por último, este privilégio foi renovado por um tempo indefinido por decreto da Sagrada
Congregação de Indulgências, em 26 março de 1911 (Acta Apostolicae Sedis, III, 1911,
233-4).
Significa dizer, que atualmente, qualquer Igreja Católica de qualquer país, tem o benefício
da Indulgência que São Francisco conseguiu de Jesus para toda humanidade.
Assim ganharão a Indulgência, todas as pessoas que estando em "estado de graça",
visitarem uma Igreja nos dias mencionados, rezarem um Credo, um Pai-Nosso e um Glória,
suplicando ao Criador o benefício da indulgência, e rezando também, um Pai-Nosso, uma
Ave-Maria e um Glória, pelas intenções do Santo Padre o Papa Bento XVI.
Poderão utilizar a Indulgência em seu próprio benefício, ou em favor de pessoas falecidas
ou daquelas que necessitam de serem ajudadas na conversão do coração.
Por outro lado, a Indulgência é "toties quoties", quer dizer, pode ser recebida tantas vezes quanto à pessoa desejar (em cada ano, fazendo visitas a diversas Igrejas das 12 horas do dia 1º de Agosto até o entardecer do dia 2 de Agosto ). 
Sem dúvida, foi um precioso presente que São Francisco intercedeu junto ao Senhor, em
favor de todos os corações de boa vontade que amam a Deus e almejam, com o benefício da
indulgência, poderem cumprir dignamente a sua missão existencial em direção ao Criador.




Retirado daqui:

http://www.oracoes.info/SaoFrancisco2.pdf

24 julho 2012

Obra Do Amor - Divino

OPORTET ILLUM REGNARE

"Procurei alguém que sofresse comigo!
e ninguem apareceu!
alguém que Me consolasse!!
E não achei ninguém!!!  
                                               (Ps.68)




O que é a Obra Do Amor - Divino?
A Obra do Amor Divino é a Fraternidade das almas totalmente dedicadas á difusão do Reinado de Jesus Cristo a cujo Sacratíssimo Coração se consagram com voto perpétuo de amor-reparador!


Por Quem, quando e onde foi fundada a Obra?
A Obra do Amor Divino foi fundada pelo Padre Alberto Gonçalves Gomes, paroco de Travassos, concelho da Povoa de Lanhoso, que se sentiu divinamente inspirado a fundá-la na primavera de 1917 e que faleceu santamente em 29 de Março de 1974.


Qual o fim desta Obra?
O fim desta Obra é compensar o amor devido a Deus e que os homens ingratamente Lhe negam, e levar a Redenção do Calvário, a toda a Humanidade, promovendo a conversão dos pecadores, a persererança dos justos, a salvação dos moribundos e o alivio das Almas do Purgatorio. Para conseguir tal fim, a alma consagrada na Obra, oferece a Deus os valores sobrenaturais, conseguidos na oração, no trabalho e no sofrimento.


Quais as condições para admissão na Obra?
Podem ser admitidos pessoas de ambos os sexos, de todas as condições sociais e de qualquer idade, desde que tenham capacidad para emitir o voto reparador, mas só, excepcionalmente, com menos de 15 anos. Devem ter, ainda, vida cristã, irrepreensivel, conhecer o espirito da Obra e manifestar a vontade deliberada de nela ser admitidas.


Onde devem viver?
Embora possam viver nos claustros, os membros da Obra do Amor Divino, geralmente, vivem espalhadas pelo mundo, por toda a parte, para que, á maneira do fermento, com o exemplo da sua vida de amor e sacrificio, possam edificar os outros.


Terão para si prejuízos cedendo os seus valores?
O seu amor puro não lhes permite que olhem para si e a sua consagração não foiu por temer a condenação nem para lucrarem a salvação. Doando o que tinham e, ainda mais, dando-se a si mesmos, os filiados, sem nisso pensarem, se santificam, recebem cem vezes o que dão e, por fim, têm a vida Eterna!!! (Mc. 10.30)

(Retirado da pagela da Obra do Amor Divino)

Obra do Amor Divino


Pe. Alberto Gonçalves Gomes (1888-1974), sacerdote, fundador da Obra do Amor Divino.
Filho de Domingos António Gomes e de sua mulher, Joaquina Rosa Alves, Alberto Gonçalves Gomes nasceu na freguesia de Travassos no dia 17 de Agosto de 1888. Era o primeiro dos oito filhos deste casal: quatro meninas e outros tantos rapazes. Pequenos industriais de ourivesaria, os pais de Alberto deram-lhe uma educação cristã. De débil constituição, o pequeno era dado a graves problemas de saúde. Um dia, durante uma dessas crises de saúde, sua mãe levou-o a um farmecêutico de Porto d’Ave que lhe torceu o nariz. Diz-se que foi nessa ocasião que a mãe do pequeno o prometeu a Deus.
Em 1902, Alberto frequentou o ensino liceal em Guimarães até ao final do 2º Grau, altura em que manifestou vontade a seu pai de frequentar o seminário. Aos 16 anos de idade, entrou para o seminário de Santo António, em Braga, onde completou os preparatórios, ingressando, em 1911, no seminário de S. Tiago, onde completou o curso de Teologia. A sua ordenação como presbítero não teve lugar em Braga, de onde, à época, o arcebispo D. Manuel Baptista de Cunha se encontrava ausente dadas as contendas políticas características da I República, pelo que a recebeu no Porto, do bispo da cidade D. António Barroso. A sua primeira missa ocorreu em 29 de Julho de 1914, na sua paróquia natal.
Foi, depois, convidado para capelão do santuário de Nossa Senhora de Porto d’Ave e para celebrar missa todos os domingos em Brunhais. Naquela altura, apesar do anticliricalismo que se vivia no nosso país, os sacerdotes eram muitos, e nem todos tinham dinheiro à sua paróquia. Fez-se, em 1916, auxiliar dos missionários Pe. Antunes Ferreira e Dr. Clemente Ramos, na igreja das Taipas, à qual em finais de Janeiro de 1916, chegou o despacho arcebispal a nomeá-lo pároco da sua freguesia natal: São Martinho de Travassos. Em 1929, o Prelado anexou-se a paróquia de Oliveira. Mais tarde, deixando Oliveira, foi responsabilizado pela cura de Brunhais, onde se manteve até 1947.
Pároco de freguesias várias, sacerdote de uma humildade muito acima do comum, por muitos considerado em vida «um santo», dada a forma como se entregava a ajudar os outros, o Padre Alberto de Travassos ficará para a posteridade, especialmente, enquanto fundador da "Obra do Amor Divino", cujas raízes lançou por 1921, e que se mantém ainda hoje em actividade plena, pujante na caminhada de oração e recolhimento para que foi fundada. A actual sede foi construída a partir de 1948.
Outro «acontecimento providencial» na vida do Padre Alberto Gomes, foi o ter-se tornado, quase acidentalmente, no confessor de Alexandrina de Balazar.
O Padre Alberto faleceu em Travassos em Abril de 1974. No seu elogio fúnebre, escrevia o semanário local Maria da Fonte (6.4.1974) que: «Nos larguíssimos anos do seu apostolado, o Padre Alberto viveu sempre humilde e pobremente, desprezando riquezas e ostentações, valendo-lhe a sua família nas horas e momentos de mais necessidades».


Livro da obra do Amor Divino (versão antiga).


Entrada da Obra do Amor Divino.
(Obra do Silêncio Reparador, como gosto de meditar.)

Capelinha do Santissimo Sacramento(rés-do-chão).



Nossa Senhora da Abadia

A imagem de Nossa Senhora da Abadia é muito bonita. Representa Maria de pé, segurando com a mão o menino Jesus com uma coroa.E com uma belissima roupa das cores verde com flores,rosa,azul e branco e na mão direita um cetro para guiar os seus filhos e filhas e na cabeça uma linda coroa.
Freguesia de Santa Maria de Bouro, concelho de Amares.
Gosto daquele lugar.