Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2011

Maria Ao Pé Da Cruz

Jorge de Nicomedia - (séc. IX)



Beijo a tua paixão,
com a qual fui libertado das minhas más paixões.

Beijo a tua Cruz,
com a qual condenaste o meu pecado
e me libertaste da condenação à morte.

Beijo aqueles cravos,
com que removeste o castigo da maldição.

Beijo as feridas dos teus membros,
com que foram curadas as feridas da minha rebelião.

Beijo a cana com que assinaste o atestado da minha libertação
e com que feriste a cabeça arrogante do dragão.
Beijo a esponja encostada aos teus lábios incontaminados,
com que a amargura da transgressão
me foi transformada em doçura.

Tivesse podido eu degustar aquele fel,
que dulcíssimo alimento não teria sido!

Tivesse podido eu tomar o vinagre,
que bebida agradável!

Aquela coroa de espinhos
teria sido para mim um diadema régio.

Aquelas cusparadas
me teriam ornado como esplêndidas pérolas.

Aquelas zombarias
me teriam ornado como sinal de profundo obséquio.

Aquelas bofetadas
me teriam glorificado como o prestígio mais alto.

Eu te beijo, Senhor,
e a tua paixão é o meu orgulho.

Be…

Ginástica espiritual

Ginástica de relaxamento - Entrega ao Pai Celestial todas as tuas cargas, preocupações e tristezas.
Ginástica respiratória - Respira apenas a atmosfera de paz, amor e felicidade.
    Ginástica ocular - Vê somente o bem nos teus semelhantes.
  Ginástica auditiva - Escuta a voz de Deus.
    Ginástica para a mente - Exercita exclusivamente ideias construtivas.
  Ginástica para a língua - Pronuncia apenas palavras edificantes e caridosas.
   Ginástica facial - Sorri, sorri, sorri o dia inteiro.
   Ginástica para as pernas - Anda sem temer pelos caminhos que Deus te indicar.
Ginástica para as mãos - Une-as diariamente, para uma oração especial.
Ginástica para o coração - Irradia sentimentos de amor.
    Ginástica para a alma - Contacta com Deus todos os dias.


(Revista Cruzada, Junho 2007)

Cinco minutos com Deus

Já pensamos alguma vez que os nossos olhos são uma maravilha? Cabe neles todo o universo e com eles abarcamos a imensidade, pois podemos pousá-los na pequena flor que cresce a nossos pés e nas estrelas que brilham sobre nós. Nessa florinha, tal como nessas estrelas, nas nuvens vermelhas pelo sol poente, tal como nas montanhas cobertas com o turbante da neve brilhante, devemos contemplar a grandeza de Deus, que tanto fez a violeta humilde e insignificante, como a montanha majestosa.

Cada astro na noite é como uma balada de amor que chega à grande janela da criação. Cada estrela é uma assinatura divina, no pergaminho do céu. É bom que nos habituemos a ser capazes de ler as assinaturas de Deus em tudo o que nos rodeia. Foi para nós que Deus as escreveu.

(MILAGRO, Alfonso - Os cinco minutos de Deus. Cucujães: Editorial Missões, 2005)